Para uma melhor experiência no site, recomendamos o uso de um navegador diferente.
A utilização do Internet Explorer pode impedir que você acesse o site Chubb.com e alguns recursos podem não funcionar como esperado.

X
skip to main content

O setor da construção civil projeta um crescimento expressivo em 2021, apesar dos desafios impostos pela pandemia de Covid-19, como como a escassez e aumentos nos custos do aço, por exemplo. Segundo dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), o segmento deve crescer 4% neste ano.

Parte desse bom desempenho foi reflexo de um cenário marcado por ampla oferta de crédito imobiliário, da forte redução da taxa básica de juros – que saiu de um patamar de 14% ao ano em 2016 para 2% ao ano, antes da retomada do processo de alta, em março de 2021. A própria pandemia fez com que as pessoas passassem mais tempo em casa, o que aumentou a demanda por novos imóveis.

O aquecimento do setor beneficiou construtoras de todos os portes, o que pode ser visto nas ruas das capitais brasileiras, com grande número de obras surgindo a toque de caixa para suprir a demanda. É neste cenário que a contratação de um seguro de Riscos de Engenharia passou a ser fundamental. Não apenas para proteger o patrimônio dos responsáveis pelos empreendimentos no caso de um sinistro, mas também para evitar que um imprevisto possa inviabilizar a concretização de um projeto, afetando compradores, fornecedores, funcionários e toda uma gama de pessoas e empresas relacionadas a cada iniciativa.

“Seja por falta de conhecimento ou por pensarem que é um seguro caro, o fato é que algumas construtoras ainda acabam não contratando uma apólice de seguros para o canteiro de obras”, afirma Everaldo Trindade, gestor de Seguro de Riscos de Engenharia da Chubb. De acordo com Trindade, os riscos envolvidos numa obra são muito relevantes para não incluir uma apólice no orçamento total. “O valor da apólice de Riscos de Engenharia deve ser incluído no custo do projeto. A taxação dependerá de fatores técnicos, mas de modo geral, as taxas de um Seguro de Riscos de Engenharia não chegam a ser relevantes quando comparadas as exposições que o Segurado estará sujeito”, diz.

“No caso da construção de um edifício, por exemplo, o Portal da Chubb permite que o corretor efetue cotações de projetos com Valor em Risco de até R$ 75 milhões, o que é muito atraente”, acrescenta, destacando as vantagens de ter por perto uma seguradora como a Chubb, com ampla experiência no segmento, solidez financeira e produtos capazes de atender às necessidades de construtoras e incorporadoras de todos os portes. “Cada apólice pode ser ajustada de acordo com as características e necessidades específicas do empreendimento pelo corretor de seguros”, afirma.

O executivo esclarece que entre os clientes usuais para este tipo de apólice estão empreiteiras, construtoras, incorporadoras e proprietários de obras ou reformas. “As apólices que são cotadas pelo Portal Chubb cobrem a construção de edifícios comerciais ou residenciais, além de reformas, muito utilizadas em lojas em shoppings centers por exemplo”, afirma Trindade.

“Apesar de todo o avanço notado no setor, alguns construtores ainda podem desprezar os riscos envolvidos, mas eles existem e, quando ocorre um sinistro, as perdas podem ser severas, em alguns casos, inclusive com potencial de impedir a retomada do empreendimento”, adverte Trindade.

Além das obras que podem ser cotadas pelo Portal, a Chubb também oferece proteção para projetos de maiores portes, como obras de infraestruturas, instalações e montagens industriais, plantas de energias renováveis, entre outras, mantendo cobertura inclusive durante o período de testes e comissionamentos. A seguradora é reconhecida mundialmente por sua expertise na análise e subscrição de riscos de engenharia.

Da mesma forma que outras apólices do segmento de Property, a cobertura básica de Riscos de Engenharia inclui indenização inclusive no caso de sinistros envolvendo fenômenos climáticos, como alagamentos, inundações e queda de raios. Esses tipos de sinistros podem não só danificar equipamentos usados no local como destruir inteiramente um canteiro de obras.

“A cobertura básica de um Seguro de Riscos de Engenharia ainda garante proteção contra incêndio, explosão e roubo”, diz Trindade. “Até mesmo um desmoronamento pode ser coberto por uma apólice de Seguro de Riscos de Engenharia, desde que não haja uma exclusão específica”, acrescenta.

O executivo explica que, ao montar sua apólice, o segurado e seu corretor podem acrescentar coberturas adicionais para proteger uma obra de outros imprevistos, como tumultos, despesas com desentulhos, manutenção (simples ou ampla), erros de projeto, despesas com salvamento e contenção de sinistros, entre outras e assim, evitar também outras exposições a que o projeto estaria sujeito.

Entre os exemplos de apólices/coberturas complementares negociadas pela Chubb, Trindade cita a de Responsabilidade Civil Obras. “Trata-se de uma cobertura que reembolsa despesas geradas por danos materiais e/ou corporais causados a terceiros, como moradores vizinhos de uma obra ou pedestres que passam em frente na hora de um acidente”, diz. Tecnicamente, a apólice garante o pagamento ou reembolso das quantias despendidas pelo segurado nas reparações de danos involuntários, materiais e/ou corporais causados a terceiros ou nas ações emergenciais empreendidas, com o objetivo de combatê-lo ou de minimizar seus efeitos, durante a realização de obras civis ou da prestação de serviços de montagem, desmontagem, reparo e instalação de máquinas e equipamentos.

Outra cobertura complementar que Trindade destaca é a de Responsabilidade Civil do Empregador. “Essa apólice pode também cobrir danos corporais sofridos pelos empregados da obra, que resultem em morte ou invalidez permanente e que sejam causados por acidentes súbitos e imprevistos”. Esta garantia não cobre doenças e tampouco substitui o empregador em relação ao seguro do INSS.

Para Trindade, as obras de engenharia civil são vulneráveis a vários tipos de acidentes e imprevistos que podem até inviabilizar a continuidade do projeto, o que justifica a contratação de uma apólice de seguro.  “A Chubb dá muita atenção para esses detalhes, oferecendo, através do seu Portal, um pacote de coberturas combinando as garantias de Riscos de Engrenharia e de Responsabilidade Civil Obras”, diz. 

Esta lista de verificação contém apenas informações gerais. A Chubb não tem nenhuma obrigação de supervisionar ou monitorar a aderência de qualquer segurado a qualquer orientação ou prática estabelecida neste documento, ou a quaisquer outras práticas de controle de risco. O conteúdo deste documento é apresentado apenas para fins informativos e não se destina a substituir a consulta com seu corretor de seguros ou aconselhamento jurídico ou de outro profissional. Nenhuma responsabilidade ou garantia é assumida ou fornecida pelas informações contidas neste documento.

Chubb é o nome de marketing usado para se referir às subsidiárias da Chubb Limited que fornecem seguros e serviços relacionados. Para obter uma lista dessas subsidiárias, visite nosso website em www.chubb.com. Seguro fornecido pela ACE American Insurance Company e por afiliadas da Chubb nos Estados Unidos. Todos os produtos podem não estar disponíveis em todos os estados. A cobertura está sujeita ao idioma das diretrizes efetivamente emitidas. Linhas excedentes de seguros serão vendidas apenas através de produtores de linhas excedentes licenciados. Se ou em que medida uma perda específica é coberta depende dos fatos e circunstâncias da perda e da cobertura real da apólice emitida. Serviços de Risco Pessoal da Chubb, P.O. Box 1600, Whitehouse Station, NJ 08889-1600. © 2020