skip to main content

Os desastres ocorrem de todas as formas e tamanhos: condições climáticas severas, rupturas da canalização, falhas nos servidores, incêndios ou até pandemias. Os gestores de risco da Chubb aconselham que uma das melhores maneiras de garantir que a sua empresa esteja preparada para a recuperação após um desastre  - e manter o sucesso -  é desenvolver um Business Continuity Plan.

Deve considerar as seguintes áreas relevantes no seu Business Continuity Plan:


  • Preparação para o desastre: uma lista dos tipos de eventos que podem prejudicar o seu negócio, qual o tamanho de uma ameaça e como  pode minimizar o seu impacto.
  • Resposta de emergência: os procedimentos que preconiza quando um desastre está a caminho ou acaba de ocorrer.
  • Recuperação do negócio: uma lista das funções críticas do negócio da sua empresa e as etapas a serem seguidas para recuperar vendas, produção e operações aos níveis pré-desastre.



Illustration of business people working on laptops

Desenvolvendo - e mantendo – o seu Business Continuity Plan

Ter um plano bem pensado para a continuidade dos negócios pode ser exponencialmente rentável, seja economizando nos custos de recuperação, em rendimento do negócio, na reputação da sua empresa e até na vida das pessoas. Aqui estão algumas dicas para iniciar o seu plano e mantê-lo atualizado:
 
1. Construa uma equipa. Obtenha apoio da Administração e indique alguém para ser responsável pela supervisão do processo. Em seguida, constitua uma equipa principal, com representantes de cada departamento comercial mais importante.
 
2. Avalie o risco. Identifique e classifique os eventos ou riscos que provavelmente mais ameaçam  os seus negócios, incluindo elementos como construção de instalações, recursos de tecnologia, pessoal, eventos passados, problemas da cadeia de produção, equipamentos especializados, clima, segurança e benefícios já obtidos.
 
3. Desenvolva uma análise de impacto nos negócios. Isso classificará as funções de negócios da mais crítica para a que é menos, para que  saiba quais restaurar primeiro após um desastre. Peça às suas unidades de negócio que recomendem estratégias de recuperação que permitam que as principais funções estejam em funcionamento dentro de um prazo de tempo específico. Inclua informações sobre como recuperar as suas bases de dados de segurança (que devem ser armazenadas externamente) dentro de algumas horas e com qual fornecedor de TI você entrará em contato para substituição de equipamentos, se necessário.
 
4. Coloque por escrito. Documente o seu plano e procedimentos passo a passo. Partilhe isso com a equipa e atribua claramente as responsabilidades para a execução do plano.
 
5. Teste e repita o teste. Pense no planeamento de continuidade de negócio como um ciclo que requer revisões, atualizações e ajustes contínuos com base nas alterações das operações dos seus negócios. Ofereça sessões de formação para que os seus colaboradores estejam preparados para o apoiar na recuperação do negócio e realize exercícios regulares para avaliar e melhorar a resposta deles.

Todo o conteúdo deste material é apenas para fins de informação geral. Não constitui aconselhamento pessoal ou recomendação a qualquer indivíduo ou empresa de qualquer produto ou serviço. Por favor, consulte a documentação da política emitida para todos os termos e condições de cobertura.

Chubb European Group SE, Segurador com sede social em La Tour Carpe Diem, 31 Place des Corolles, Esplanade Nord, 92400 Courbevoie, France, sociedade registada em Nanterre, sob o número RCS 450 327 374, com capital social de  €896,176,662, regida pelas disposições do Código de Seguros Francês, atuando através da sua Sucursal em Portugal, denominada “Chubb European Group SE – Sucursal em Portugal”, com sede  na Avenida da Liberdade 249, 3º Piso, 1250-143 Lisboa, matriculada na Conservatória do Registo Comercial sob o número único de matrícula e pessoa coletiva 980 350 964, supervisionada pela Autorité de Contrôle Prudentiel et de Resolution (ACPR) 4, Place de Budapest, CS 92459, 75436 PARIS CEDEX 09 e pela Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões com o código n. 1173.