Para uma melhor experiência no site, recomendamos o uso de um navegador diferente.
A utilização do Internet Explorer pode impedir que você acesse o site Chubb.com e alguns recursos podem não funcionar como esperado.

X
skip to main content

Talvez você já tenha se perguntado quanto custa um seguro para sua empresa. Diversos fatores influenciam no valor final da apólice. Entenda melhor aqui.

O título deste artigo remete a uma dúvida que ocorre a milhares de donos de empresas e executivos à frente dos mais variados tipos de negócio. Se compararmos a realidade brasileira a de países onde a cultura do seguro está consolidada, é fácil perceber o quanto o mercado segurador ainda pode fazer para beneficiar a sociedade como um todo. Nesse universo, há uma grande quantidade de empresas que ainda não se deram conta da importância da contratação de uma apólice para absorver um risco ao qual seus executivos não estão dispostos a correr.

É justamente esse conceito que precisa ser compreendido antes de se questionar o preço de um seguro. O que o setor de seguros torna possível é o repasse de riscos aos quais o empresário ou os administradores não querem estar sujeitos. Para tomar essa decisão, é preciso ter clareza de quais são as vulnerabilidades na operação da companhia, identificar aquelas que podem ser eliminadas ou reduzidas com a adoção de medidas específicas e listar os riscos que podem ser repassados ao mercado, por meio da contratação de uma apólice.

 

Tipos de seguro empresarial

 

Nesse processo de mapeamento, um cuidado fundamental é perceber que há muito mais riscos corporativos do que os relacionados aos bens e aos equipamentos da empresa. Esse entendimento é chave no momento de avaliar o cenário no qual sua organização está inserida e de prepará-la para lidar com imprevistos que podem colocar em xeque sua sobrevivência. Claro, contar com uma apólice voltada a proteger os ativos físicos é importante e essa é a função dos produtos do segmento de seguros de danos patrimoniais. Mas também é preciso pensar no risco de a companhia, por exemplo, ser obrigada judicialmente a arcar com prejuízos provocados a terceiros por conta de um incidente. Para fazer frente a esse tipo de risco, é possível contar com um seguro de responsabilidade civil (RC).

Dentro desse ramo de RC há ainda produtos especificamente desenhados para a proteção de executivos e profissionais à frente das empresas. O mais conhecido e com maior alcance no Brasil é o seguro de reponsabilidade civil de diretores e administradores, conhecido pela sigla D&O (do inglês Directors and Officers). Voltado a garantir o ressarcimento de valores pagos a título de indenização determinada pela Justiça por danos causados a terceiros em consequência de atos de gestão do executivo, o D&O já vem crescendo de forma consistente há algum tempo no Brasil.

O aumento dessa carteira fez com que um número cada vez maior de executivos tivesse acesso a essa proteção, mas a distribuição não se deu de forma homogênea. Empresas multinacionais e grandes corporações de capital aberto já assimilaram a importância da contratação desse tipo de proteção, cada dia mais exigida por profissionais que assumem postos de liderança. Por outro lado, boa parte dos executivos de empresas familiares e de organizações de médio ou pequeno porte ainda não desfruta esse benefício.

Outra cobertura de extrema relevância que muitas vezes não é observada pelos administradores é a de Lucros Cessantes. Com ela, é possível garantir o reembolso das despesas fixas que perduram após um evento coberto e que faça com a atividade fim seja provisoriamente interrompida. É possível, inclusive, incluir cobertura para a perda de receita ocasionada por este mesmo evento.

Claro, esses são apenas alguns dos produtos à disposição das empresas e executivos no mercado. Existem muitos outros, desenhados para atender demandas de corporações atuantes em mercados específicos, como o de Engenharia, além dos produtos de Transporte, voltados à proteção de embarcadores (donos da carga) e transportadores (responsáveis pelo transporte), sem falar nos seguros Marítimos e Aeronáuticos, entre muitos outros.

 

Como contratar um seguro

 

Diante dessa infinidade de opções, pode parecer difícil entender como funciona a contratação da apólice do seguro para empresas. Um bom começo é estabelecer um Plano de Gerenciamento de Risco. Trata-se de uma série de ações voltadas a identificar possíveis ameaças às quais a empresa está submetida, classificar cada um desses riscos e avaliar as medidas a serem tomadas para mitigá-los. Nesse processo também são identificados os riscos que a empresa julga importante repassar ao mercado segurador, por meio da contração de apólices.

O problema é que ainda existe uma percepção equivocada de que contratar um seguro é muito caro e as empresas sequer chegam a fazer essa avaliação. Por isso é necessário entender os fatores envolvidos na precificação de uma apólice. Claro, há muitas variáveis envolvidas no processo e não há uma fórmula simples para calcular o valor a ser pago para uma seguradora em troca do repasse de um determinado risco, mas é possível ter uma boa noção da relação entre o valor a ser pago e o benefício desfrutado pela empresa contratante. Veja a seguir alguns fatores que interferem no cálculo do prêmio do seguro:

 

  • O que você faz ou vende - quanto você paga pelo seguro depende do tipo de negócio que você dirige. Quanto maior o risco, maior será o valor cobrado pela seguradora. Por exemplo, empresas de construção civil e fabricantes muitas vezes têm taxas mais altas para seguro de responsabilidade civil geral, porque eles lidam com (e podem potencialmente danificar) a propriedade de outras pessoas. Seu risco de responsabilidade também é importante. Por exemplo, o risco de incorrer em responsabilidade por danos a terceiros é provavelmente maior para uma empresa que presta serviços de segurança do que para uma empresa que presta serviços de contabilidade.
  • Onde você está instalado - obviamente, há riscos maiores de danos à propriedade em zonas de alto risco de enchentes ou quaisquer outros eventos da natureza, por exemplo, do que em lugares onde incidentes relacionados ao clima são menos prováveis ​​de ocorrer. Os prêmios de seguro geralmente refletem os diferentes níveis de risco. Você pode tomar algumas medidas para reduzir a probabilidade de danos materiais causados ​​por causas naturais, mas se sua empresa estiver localizada em uma dessas áreas de risco, você saberá que o custo do seguro de propriedade provavelmente será mais alto do que poderia ser em outros locais.
  • O espaço no qual sua empresa opera – você administra seu negócio a partir de um espaço alugado ou é o proprietário do imóvel? Cada uma dessas situações tem seus próprios riscos, dependendo do tipo de negócio que você dirige. Por exemplo, se você alugar um espaço para um restaurante, provavelmente pagará mais pelo prêmio de seguro de propriedade do que se administrar uma imobiliária a partir de um espaço alugado, porque as exposições ao risco do equipamento do restaurante são maiores do que as exposições ao risco em um ambiente de escritório. Mas, se você for o proprietário do espaço onde opera seu restaurante, provavelmente pagará mais pelos prêmios de seguro de propriedade do que se trabalhasse num espaço alugado, porque pode preferir contratar coberturas contra danos ao próprio edifício e não apenas ao conteúdo interno.
  • O histórico de incidentes de sua empresa - as seguradoras também examinarão seu histórico de sinistros (eventos em que a empresa vivenciou situações que teve uma perda coberta pelo seguro). Por exemplo, se você já foi processado várias vezes por erros que cometeu na prestação de serviços, uma seguradora pode considerar isso uma tendência e cobrará um prêmio mais alto pelo maior risco apresentado. Ou, se um de seus motoristas de entrega tiver sofrido uma série de acidentes, uma seguradora pode cobrar prêmio mais alto pela sua apólice de frota do que se todos os motoristas da apólice tivessem um histórico mais favorável.

Esta lista de verificação contém apenas informações gerais. A Chubb não tem nenhuma obrigação de supervisionar ou monitorar a aderência de qualquer segurado a qualquer orientação ou prática estabelecida neste documento, ou a quaisquer outras práticas de controle de risco. O conteúdo deste documento é apresentado apenas para fins informativos e não se destina a substituir a consulta com seu corretor de seguros ou aconselhamento jurídico ou de outro profissional. Nenhuma responsabilidade ou garantia é assumida ou fornecida pelas informações contidas neste documento.

Chubb é o nome de marketing usado para se referir às subsidiárias da Chubb Limited que fornecem seguros e serviços relacionados. Para obter uma lista dessas subsidiárias, visite nosso website em www.chubb.com. Seguro fornecido pela ACE American Insurance Company e por afiliadas da Chubb nos Estados Unidos. Todos os produtos podem não estar disponíveis em todos os estados. A cobertura está sujeita ao idioma das diretrizes efetivamente emitidas. Linhas excedentes de seguros serão vendidas apenas através de produtores de linhas excedentes licenciados. Se ou em que medida uma perda específica é coberta depende dos fatos e circunstâncias da perda e da cobertura real da apólice emitida. Serviços de Risco Pessoal da Chubb, P.O. Box 1600, Whitehouse Station, NJ 08889-1600. © 2020