Para uma melhor experiência no site, recomendamos o uso de um navegador diferente.
A utilização do Internet Explorer pode impedir que você acesse o site Chubb.com e alguns recursos podem não funcionar como esperado.

X
Ir para conteúdo principal

Conheça algumas das principais tendências que estão afetando o mercado segurador com esta seleção de publicações.

A preocupação com a segurança cibernética está aumentando

 

O impacto da pandemia nos mercados e as suas consequências na economia começam a deixar de estar entre as principais preocupações dos compradores de seguros, pelo menos nos mercados europeu e norte-americano. Hoje, de acordo com a revista espanhola Fortuna, o foco está mudando para um risco em rápida expansão: a segurança cibernética. A descoberta foi relatada no sexto Relatório de prontidão cibernética 2022, lançado em maio, onde participaram mais de cinco mil organizações de oito países: Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Bélgica, Espanha, Holanda e Irlanda. Em sete deles, os ciberataques são percebidos como a principal ameaça ao bom desenvolvimento dos negócios, acima de fatores que até agora pareciam ser preponderantes, como a pandemia, a falta de pessoal qualificado ou a crise econômica mundial.

Leia mais aqui.

 

Natureza versus seguradoras: o impacto das mudanças climáticas

 

De acordo com um relatório do Morgan Stanley, as seguradoras precisam parar de pensar em eventos climáticos como uma eventualidade cíclica e começar a avaliá-los pelo que as evidências estão mostrando: mudança estrutural. Uma publicação do início de junho informa que na Austrália os prêmios relacionados a desastres naturais podem subir entre 10% e 15% nas renovações projetadas para julho.

Você pode ler um relatório sobre o informe (em inglês) aqui.

 

Inflação e seu impacto nos seguros

 

A falta de liquidez, a guerra de preços e o risco de enfrentar o aumento do percentual de fraudes são alguns dos perigos que espreitam o mercado segurador, em função da inflação crescente. É um fenômeno global, cujos impactos para o mercado latino-americano foram analisados no final de março na 17ª edição do Fórum Nacional de Seguros, organizado pela Associação Argentina de Produtores Assessores de Seguros (AAPAS).

Leia a notícia aqui.