skip to main content
Meio ambiente
A alta performance ambiental do nosso prédio
  • 33% de economia de no consumo de água potável, comparado ao padrão norte-americano.
  • 100% de economia de água potável para irrigação.
  • 18% de economia no consumo de energia.
  • 74% de todo resíduo gerado na obra foi desviado de aterros.
  • 30% de todo material empregado é de origem reciclada.
  • 50% de todo material adquirido é de origem local.
  • 95% de toda madeira certificada pelo FSC (Forest Stewardship Council).
  • 25% de redução da vazão e volume de água lançada na rede pública durante as chuvas.
Uso racional da água
  • Captação, tratamento e aproveitamento de águas pluviais para irrigação, lavagem de pisos e abastecimento de bacias sanitárias e mictórios das áreas comuns.
  • Especificação de paisagismo com espécies de plantas nativas e adaptadas ao clima local, por consumirem menos água.
  • Uso de equipamentos economizadores de água, como bacia com caixa acoplada com duplo acionamento (3 e 6 litros), mictórios de baixa vazão (0,7 litros por acionamento) e com fechamento automático, torneiras de lavatório com fechamento automático e torneiras de uso geral com restritores de vazão.
Eficiência energética
  • Baixo percentual de área envidraçada e transparente na fachada (43%) e utilização de vidros de alto desempenho, reduzindo o ganho de carga térmica pelos ambientes internos e, consequentemente, a maior demanda de condicionamento de ar.
  • Persianas dos andares tipo acopladas a um sistema inovador que controla automaticamente o fechamento e abertura, em função da incidência de radiação solar em cada fachada do edifício, reduzindo assim o ganho de carga térmica pelas fachadas e evitando o ofuscamento nos ambientes internos.
  • Luminárias eficientes e projeto desenvolvido com baixa densidade de potência nos ambientes (watts/m2).
  • Elevadores com sistema de antecipação de chamada e com mecanismo que recupera a energia durante as frenagens.
  • Sistemas prediais devidamente comissionados, assegurando que foram executados e testados e que operam de acordo com o previsto em projeto.
  • Sistema de medição de energia individualizado com sistema informatizado para o gerenciamento integrado de energia do edifício como um todo.
  • Roda entálpica que aproveita a energia térmica remanescente do ar (frio), que é exaurido do prédio, permitindo esfriar o ar que está entrando no edifício, reduzindo assim o consumo de energia para o condicionamento de ar.
  • Motores de alto desempenho com selo Procel.
  • Condicionamento de ar inovador com sistema VRF (Variable Refrigerant Flow), sistema multi-split com uma unidade externa (condensadora) ligada a múltiplas unidades internas (evaporadoras), garantindo melhor distribuição do ar, maior flexibilidade no uso e a medição de consumo de energia de forma individualizada pelos locatários.
Materiais sustentáveis e recursos naturais
  • Infraestrutura adequada para realização da coleta seletiva.
  • Seleção e aplicação de materiais com alto conteúdo reciclado (30%).
  • Materiais extraídos, beneficiados e manufaturados dentro de um raio de 800 km (50%).
  • Utilização de produtos com madeira certificada FSC (95%).
Qualidade do ambiente construído
  • Utilização de gases refrigerantes para o sistema de condicionamento de ar com baixo potencial de agressão à camada de ozônio e ao aquecimento global.
  • Proibição do fumo no interior do edifício e nas áreas próximas das tomadas de ar e janelas.
  • Projeto desenvolvido para se obter uma alta taxa de renovação do ar nos ambientes e a sua filtragem por filtros especiais.
  • Sensores de CO2 para monitorar e assegurar a adequada renovação do ar nos ambientes internos.
  • Seleção e aquisição de tintas, selantes, vernizes e carpetes com baixa emissão de COV (Compostos Orgânicos Voláteis), prejudiciais à saúde dos ocupantes.
  • Implantação de um Plano de Gestão da Qualidade do Ar Interno durante a fase de obra, garantindo o ambiente e os dutos de ar condicionado limpos para os ocupantes.
  • Grandes áreas envidraçadas nas fachadas para garantir a integração do usuário com o ambiente externo (90%).